Views

AVISO LEGAL:

As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

O que são Doenças Raras?

As Doenças Raras são caracterizadas por uma ampla diversidade de sinais e sintomas e variam não só de doença para doença, mas também de pessoa para pessoa acometida pela mesma condição.

O conceito de Doença Rara (DR), segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), são doenças que afetam até 65 pessoas em cada 100 mil indivíduos, ou seja, 1.3 para cada 2 mil pessoas.

Existem de seis a oito mil tipos de Doenças Raras, em que 30% dos pacientes morrem antes dos cinco anos de idade; 75% delas afetam crianças e 80% têm origem genética. Algumas dessas doenças se manifestam a partir de infecções bacterianas ou causas virais, alérgicas e ambientais, ou são degenerativas e proliferativas.

Psicose na Doença de Parkinson

Psicose na Doença de Parkinson


A Psicose na Doença de Parkinson é um sintoma não motor da Doença de Parkinson que leva os pacientes a terem alucinações e/ou delírios. Mais da metade dos pacientes com Doença de Parkinson eventualmente desenvolvem sintomas durante o curso de sua doença.

Diagnosticar e tratar essa condição pode ser complexo. A condição reúne a neurologia (o ramo da medicina que lida com o sistema nervoso) e a psiquiatria (o ramo da medicina centrado na saúde mental e comportamental). Por esse motivo, a Psicose na Doença de Parkinson é considerada uma condição neuropsiquiátrica, já que lida com sintomas da saúde mental (alucinações e delírios) causados por uma doença do sistema nervoso (Doença de Parkinson).


Qual é causa da psicose na doença de Parkinson?

Atualmente, não há uma compreensão clara da causa exata da Psicose na Doença de Parkinson, no entanto, acredita-se que algumas substâncias químicas cerebrais e receptores (p.ex., dopamina e serotonina) desempenham um papel. Em geral, acredita-se que a condição possa ser causada por:
Efeito colateral da terapia com dopamina Embora uma relação causal exata não tenha sido estabelecida, algumas pessoas acreditam que essa condição pode ser um efeito colateral da terapia dopaminérgica (medicamentos com dopamina são os mais comuns no tratamento para a Doença de Parkinson). A terapia dopaminérgica aumenta os níveis de dopamina, ajudando a melhorar os sintomas motores em pacientes com Doença de Parkinson.
Entretanto, aumentar os níveis de dopamina pode também causar alterações físicas e químicas no cérebro, as quais inadvertidamente levam a sintomas tais como alucinações ou delírios.

Resultado natural da progressão da doença
Esta condição pode ser desencadeada por alterações no cérebro que ocorrem independentemente do tratamento com medicação que aumenta os níveis de dopamina. Algumas dessas alterações ocorrem naturalmente à medida que a Doença de Parkinson progride.
 
Quem está em risco de apresentar Psicose na Doença de Parkinson?

Não há uma previsão exata sobre quais pacientes com Doença de Parkinson desenvolverão sintomas
como alucinações ou delírios. Vários fatores de risco – internos e externos – estão associados com
a condição. Alguns desses fatores de risco incluem: idade, duração e gravidade da Doença de Parkinson, e fazer o tratamento com dopamina.

Lembre-se também de perguntar ao seu profissional da saúde o que pode ser feito para ajudar. Seu profissional da saúde pode discutir as opções de tratamento que possam ajudar a gerenciar seus sintomas.

Fale com seu médico sobre todos os seus sintomas

Quais são os sintomas da psicose na Doença de Parkinson?

Dois dos sintomas mais importantes são alucinações e delírios. Alucinações envolvem ver, ouvir
ou sentir coisas que não estão, de fato, lá. Delírios são ideias falsas, que não estão baseadas na
realidade. Ao descrever os sintomas da Doença de Parkinson, os pacientes podem usar
muitos termos comuns como: ver coisas, paranoia, flashbacks, pesadelos, ideias falsas ou não estar
em contato com a realidade.

Por que não há uma maior consciência sobre a psicose na Doença de Parkinson?

Não é incomum que pessoas com Psicose na Doença de Parkinson não falem sobre suas experiências. Na verdade, apenas 10% a 20% realmente relatam seus sintomas aos médicos.

Continua-se trabalhando para melhorar a conscientização sobre essa condição.



Deixe seus comentários, compartilhe este artigo!


⬛◼◾▪ Social Media ▪◾◼⬛
• FACEBOOK • TWITTER • INSTAGRAM  • TUMBLR   GOOGLE+   LINKEDIN   PINTEREST


⬛◼◾▪ Blogs ▪◾◼⬛
• SFE®  • SFE Tech®  • SFE Terms®  • SFE Books®  • SFE Biography® 

⬛◼◾▪ CONTATO ▪
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Vitrine